O que é felicidade?

Felicidade: só realizamos que éramos felizes quando a perdemos – tipo, eu era feliz e não sabia…

Eu não ando me sentindo muito feliz. Cansada, gorda, desanimada, não tenho vontade de sair da cama. Talvez seja o tempo que fechou, a garoa que não para.  Compenso em queijos, vinhos,  pão de mel, sardela e muito pão italiano.

Queria ter dinheiro para viajar e viajar e não ter que ficar monitorando gente chata. To ficando velha pra essa merda.

Anúncios

11 de setembro

Viajo muito. Tenho pessoas queridas em alguns lugares no mundo; Nessa última viagem, estava em NYC voltando do Queens de carro com a minha amiga Julie e seu namorado Jimmy.

Enquanto cantávamos alto uma música que tocava no rádio que nem crianças grandes,  pensei no quanto sou privilegiada em conhecer essas pessoas de coração bondoso e que me recebem como família em  um país que não é o meu; em que não temos a mesma língua mãe, e temos algumas diferenças culturais. Pensei também , como um deja vu, que vivenciei um momento parecido alguns meses atrás na Italia, indo de carro para Viareggio com a Ilenia e o Francesco, rindo alto e falando bobagem;  dois italianos de alma bondosa, dois namorados também – achei a cena parecida, acontecendo em continentes diferentes – me encheu o coração.

Esse sentimento de ” encher o coração ” já aconteceu no México, no Japão, Bolívia, Malásia e me levam a dizer, escrever que gente é gente não importa a língua, aparência. Somos todos iguais e esse sentimento, quando chega de encontro, enche o coração , a alma com a mesma vibração quando entoô os mantras na Yôga. É a constatação que somos pequenos no Universo, mas que também somos grandes na alma e no coração. E faz nos compadecermos mais do horror que aconteceu a 10 anos atrás. Um ato de tamanha ignorância na espiritualidade e falta de bondade e a incapacidade de ver que todos somos iguais. Inclusive iguais aquelas pessoas que jogaram um avião para matar gente.