Eu e os meninos, ou os meninos e eu

Começou assim: com um olhar de desejo. Adoro receber um olhar de desejo, sincero, de me querer legitimamente. O olhar foi seguido de uma frase sobre o meu vestido no meu corpo,  e que somado ao olhar de desejo, abriu minha libido e me fez querer no mesmo átimo.

O olhar de desejo tem que ser gratuito, de admiração e querer, e não pode ser forjado para demonstrar interesse. Eu diferencio isso. Continuar lendo “Eu e os meninos, ou os meninos e eu”

Dolce far niente

Entrei em um estado de letargia em que só quero não pensar em nada. Estou em um dos lugares mais lindos do mundo e o que menos quero ouvir é sobre merda de estatística. Então, apertarei o botão do foda-se com força e vou fazer só o que tenho vontade.
Amanha vou explorar a cidade, alugarei uma bike, mapa em punhos e ciao – sozinha de preferencia.